VEM PRO GOOGLE

VOCÊ ENCONTROU O QUE QUERIA? PESQUISE. Nas guias está a matéria que interessa a você.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.
GUIAS (OU ABAS): 'este blog', 'blogs interessantes', 'só direito', 'anotações', 'anotando e pesquisando', 'mais blogs'.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

Ranking das escolas: Unip foi a faculdade que mais aprovou no Exame de Ordem

Qual a faculdade de Direito que mais candidatos aprovou no Exame de Ordem em São Paulo? Errou quem disse PUC ou pensou USP. A campeã de aprovações em São Paulo é a Faculdade de Direito da Unip — Universidade Paulista, com 495 ex-alunos aprovados. A vice-campeã é outra surpresa: a FMU — Faculdades Metropolitanas Unidas com 467. As tradicionalíssimas PUC, Mackenzie e USP ocupam as posições seguintes no ranking de número de aprovações, com 379, 358 e 355, respectivamente.

Um levantamento com base nos resultados da segunda fase do 125º Exame de Ordem, realizado em fevereiro, mostra uma lenta e consistente tendência de mudanças no panorama do ensino jurídico em São Paulo, que certamente deve se repetir em todo o país. Trata-se de uma tendência iconoclasta, que abala as bases das tradições universitárias do Direito. Os antigos templos acadêmicos do saber jurídico estão sendo atropelados pela indústria do ensino com seus números avassaladores. A escola pública estagnou enquanto a particular se expande velozmente. As escolas, antes concentradas na capital, se alastram por todo o estado.

A Unip colocou na praça, ao final do ano passado, cerca de 3 mil novos bacharéis. A massificação dos diplomas, com certeza, dá peso à sua presença na liderança. Nada menos que 806 dos seus ex-alunos lograram passar à segunda fase do Exame de Ordem. A USP colocou 413 na segunda fase. Isso explica porque, mesmo com um índice de aproveitamento mais baixo (62% contra 86%), obteve um numero absoluto de aprovados superior ao da USP. Mas não é só isso.


“Temos feito um trabalho sério em busca de um padrão de qualidade”, diz o coordenador do Curso de Direito da Unip, professor Teixeira Garcia. “Este esforço implica a qualificação do corpo docente, a aplicação de novos métodos e o emprego de tecnologia”. Garcia dá como exemplo o “Multi-Ensino”, que permite a difusão de aulas em cadeia de televisão e pela internet por todas as unidades da rede – nove na capital e dez no interior. Neste mês de junho, os alunos da Unip, através deste sistema de multiplicação de eventos, devem assistir a palestras de três ministros do Supremo Tribunal Federal: Gilmar Mendes e Nelson Jobim já marcaram presença em diferentes unidades da Capital e Carlos Velloso passa por mais uma nesta segunda-feira (20/6). Mas os alunos de todas as unidades tiveram de assistir suas aulas em transmissão ao vivo e em cores.

A hegemonia da UNIP se consolida ainda mais quando se somam os resultados de suas 20 unidades espalhadas pelo estado de São Paulo. Neste caso, o número praticamente dobra, passando para 906 aprovados, bem acima do segundo conglomerado de faculdades coligadas. As sete faculdades católicas capitaneadas pela PUC de São Paulo que colocaram candidatos na segunda fase do Exame de Ordem da OAB-SP somaram 660 aprovados. Mais surpreendente é o sexto lugar ocupado pela Associação Educacional Toledo, um conglomerado de ensino superior com sede em Bauru e filiais em Araçatuba e Presidente Prudente que emplacou 319 aprovados.

Eficiência

Em termos de qualidade não há dúvida. As grandes escolas de direito — PUC-SP, USP e Mackenzie — mantêm-se na dianteira com uma taxa de aprovação, em relação ao número de inscrições, superior a 80%. Neste ponto, a novidade é que, pela primeira vez a PUC, com uma taxa de aproveitamento de 86,53%, superou a USP, que teve 85,96%. A surpresa é que representantes do ensino industrial já se aproximam destes índices de eficiência. É o caso da FMU — Faculdades Metropolitanas Unidas, que atingiu uma taxa de 71,96%. A Unip, da Capital, ainda está num degrau abaixo, com seus 61,72%, mas arranca sua força na avalanche quantitativa que oferece. Em números absolutos, ninguém a supera.

A tradição ainda é um fator de peso na hora da contratação, mas não há restrição ou discriminação aos egressos das neófitas. “Temos parâmetros específicos de qualidade e fazemos provas técnicas para aferir o valor dos candidatos”, diz Cláudia Meirellles diretora de Recursos Humanos do Tozzini, Freire, Teixeira e Silva Advogados, um dos três maiores escritórios do país.

Cláudia revela que um diploma da USP ou da PUC ainda causa a melhor das impressões, mas que o da Unip ou da FMU já não provoca arrepios. “Este é um mercado em franca mutação e não podemos fazer restrições”. Para ela, a primeira grande barreira é o Exame de Ordem.

Públicas e privadas

Um dos dados que mais chamam a atenção no ranking das escolas é o congelamento das escolas públicas diante do borbulhante crescimento das particulares. Não bastasse o fato de a Unicamp, uma das três universidades estaduais de São Paulo, não ter curso de Direito, as outras duas — USP e Unesp — ainda que preservando seu alto grau de excelência, praticamente desaparecem na maré enchente de escolas particulares. Somados os candidatos das escolas públicas — além de USP e Unesp, há representantes de faculdades municipais de cidades do interior do estado, bem como de universidades federais e estaduais de outros estados — eles perfazem tão somente 663, o que dá uma porcentagem de ínfimos 6,63% sobre o total. A Unip, sozinha, com seu vigor empresarial suplanta estes números, ao classificar 1.665 candidatos, o equivalente a 16,65% do total.

Interior e capital

As famílias do interior já não precisam mandar seus meninos estudar na capital. A interiorização do ensino superior é outro dado novo que salta dos números da OAB. Do total de candidatos inscritos, 60,54% fizeram seu curso de Direito em cidades do interior, contra 39,46% que estudaram na capital. Também neste caso, a expansão deu-se à custa da qualidade. A taxa de aprovação da capital está próxima de 70% enquanto a do interior mal passa dos 50%.

Universo da pesquisa

O ranking de escolas foi feito com base nos resultados da segunda fase do Exame de Ordem da OAB — Ordem dos Advogados o Brasil, seccional São Paulo, realizada em 20 de fevereiro. De um total de 26.912 candidatos inscritos para a primeira fase do Exame de Ordem, 10.306 (38,30%) passaram para a segunda etapa. O levantamento para a elaboração do ranking levou em conta os 10.005 candidatos que se apresentaram para o exame da segunda fase e informaram o nome da escola em que se graduaram. Destes, 5.913 (59,10%) foram aprovados. Foram citadas 126 escolas no levantamento. Destas 60 tinham mais de 50 candidatos inscritos por unidade e em conjunto somavam mais de 90% dos alunos.

Ranking das Escolas de Direito

Em número de candidatos aprovados

1 — Unip-Capital/SP — 495

2 — FMU/SP — 467

3 — PUC/SP — 379

4 — Mackenzie/SP — 358

5 — USP/SP — 355

6 — Fac.de Direito de S. Bernardo do Campo/SP — 211

7 — PUC de Campinas/SP — 184

8 — Unip - Campinas/SP — 151

9 — Univ. São Judas Tadeu/SP — 128

10 — Univ. Cidade de São Paulo/SP — 127

11 — Fac. de Direito de Araçatuba/SP (Assoc. Educ. Toledo) — 126

12 — Fac. de Direito de Bauru/SP (Assoc. Educ. Toledo) — 113

13 — Fac. de Direito de Osasco/SP — 112

14 — Univ. Católica de Santos/SP — 93

15 — Univ. Bandeirantes de São Paulo/SP — 81

16 — Univ. Braz Cubas de Moji das Cruzes/SP — 80

17 — Fac. de Direito Pres. Prudente/SP (Assoc. Educ. Toledo) — 80

18 — Fac. de Direito Vale do Paraíba (S. José dos Campos/SP) — 78

19 — Univ. São Francisco/SP — 72

20 — Univ. Metodista Piracicaba/SP — 68

21 — Fac. de Direito Padre Anchieta de Jundiaí/SP —67

22 — Univ. São Francisco ( Bragança Paulista/SP) — 66

23 — Univ. Moji das Cruzes/SP — 64

24 — Univ. Ibirapuera/SP — 64

25 — Centro Univ. de Rio Preto/SP (Unirp) — 63

26 — Fac. de Direito de Franca/SP — 62

27 — Universidade Santa Cecília/SP (Unisanta) — 61

28 — Fac. Integradas Guarulhos/SP — 60

29 — Unip - Ribeirão Preto/SP — 59

30 — Univ. do Grande ABC/SP — 57

31 — Fac. Salesiana de Direito de Lorena/SP — 55

32 — Unesp - Franca/SP — 55

33 — Universidade de Ribeirão Preto/SP (Unaerp) — 54

34 — Universidade Cruzeiro do Sul/SP (Unicsul) — 54

35 — Inst. Mun. de Ensino Superior de S.Caetano do Sul/SP — 52

36 — Centro Universitário de Araraquara/SP (Uniara) — 52

37 — Universidade de Taubaté/SP — 46

38 — Fac. de Direito de Sorocaba/SP — 45

39 — Univ. Camilo Castelo Branco/SP (Unicastelo) — 45

40 — Fund. Octavio Bastos (S. João da Boa Vista/SP) — 43

41 — Unip - Barueri/SP — 43

42 — Unip - São José do Rio Preto/SP — 43

43 — Univ. do Oeste Paulista (Unoesp - Pres. Prudente) — 40

44 — Fac. de Direito de São Carlos/SP — 37

45 — Univ. Bandeirantes - São Bernardo do Campo/SP — 35

46 — Fac. de Direito da Alta Paulista (Tupã/SP) — 35

47 — Univ. Camilo Castelo Branco/Fernandópolis(Unicastelo) — 35

48 — Fac. de Direito de Itu/SP — 34

49 — Fac. de Direito de Pinhal/SP — 34

50 — Univ. de Guarulhos/SP — 33

51 — Unip - Santos/SP — 33

52 — Fac. de Direito de Itapetininga/SP — 32

53 — Univ. de Marília/SP — 31

54 — Univ. Metropolitana de Santos (Unimes/SP) — 31

55 — Univ. São Marcos/SP — 30

56 — Universidade de Santo Amaro/SP (Unisa) — 30

57 — Unip - Bauru/SP — 26

58 — Fund. Eurípedes Soares Rocha (Univem/SP) — 26

59 — Fac. de Direito de Marilia/SP — 26

60 — Univ. Bandeirantes de São Paulo (Osasco/SP) — 26

61 — Fundação de Ensino Votuporanga/SP (Unifev) — 26

62 — Centro Universitário do Norte Paulista/SP — 25

63 — Faculdade Capital/SP — 23

64 — Unip - Sorocaba/SP — 20

65 — Universidade de Sorocaba/SP — 20

66 — Univ. Est. de Londrina/PR — 18

67 — Fac. de Direito de Jaú/SP — 16

68 — Fac. de Direito de Leme/SP — 15

69 — Fac. Educacional de Barretos/SP — 15

70 — Univ. de Franca/SP — 14

71 — Unip - São José dos Campos/SP — 14

72 — Unip - Araçatuba/SP — 14

73 — Fac. Filosofia e Ciências de Catanduva/SP (Fafica) — 14

74 — Fund. Educ. do Mun. de Assis/SP (Fema) — 14

75 — Fac. de Direito de Araraquara/SP — 13

76 — Centro Unimonte - Santos/SP — 12

77 — Fac. Adamantinenses Integras/SP — 10

78 — Unip - Araraquara/SP — 8

79 — Univ. Norte do Paraná/PR — 7

80 — Univ. Paranaense/PR — 6

81 — Fac. Estadual de Direito do Norte Pioneiro/PR — 5

82 — Centro Universitário do Triângulo/MG — 5

83 — Fac. de Direito do Sul de Minas/MG — 5

84 — Univ. Federal de Mato Grosso do Sul/MS — 4

85 — Univ. Estadual de Mato Grosso do Sul/MS — 4

86 — Univ. Tuiuti do Paraná/PR — 4

87 — Fac. Integradas de Três Lagoas/MG — 3

88 — Fac. Unificadas de Foz do Iguaçu/PR — 3

89 — Univ. Federal de Alagoas/AL — 3

90 — PUC/MG — 2

91 — Univ. do Estado de Minas Gerais/MG — 2

92 — Univ. Estadual de Maringá/PR — 2

93 — Univ. do Vale do Itajai/SC — 2

94 — Inst. Luterano de Ensino Superior de Jiparaná/PR — 1

95 — Univ. Católica de Pelotas/RS — 1

96 — Univ. de Alfenas/MG — 1

97 — Univ. Federal do Pará/PA — 1

98 — Univ. Federal Santa Catarina/SC — 1

99 — Universidade da Amazônica (Unama/PA) — 1

100 — Centro Universitário Augusto Motta/RJ — 1

101 — Fac. de Direito de Cachoeiro de Itaperimim/ES — 1

102 — Fac. de Direito do Oeste de Minas/MG — 1

103 — Fac. Integradas Tiradentes — 1

104 — Fac. Nilton Lins — 1

105 — Fac. Unidas Candido Rondon/MT — 1

106 — Univ. Católica de Goiás/GO — 1

107 — Univ. da Região de Joinville/SC — 1

108 — Univ. de Caxias do Sul/RS — 1

109 — Univ. de Fortaleza/CE — 1

110 — Univ. do Amazonas/AM — 1

111 — Univ. Federal de Minas Gerais/MG — 1

112 — Univ. Federal de Sergipe/SE — 1

113 — Univ. Federal do Espírito Santo/ES — 1

114 — Univ. Luterana do Brasil/RS — 1

115 — Univ. Potiguar/RN — 1

116 — Univ. Salgado de Oliveira — 1

— Total — 5.913

Ranking de escolas

Em porcentagem de candidatos aprovados sobre o total de candidatos inscritos

(consideradas apenas escolas com mais de 10 candidatos inscritos)

1 — PUC São Paulo — 86,53%

2 — USP/SP — 85,96%

3 — Univ. Est. de Londrina/PR — 85,71%

4 — Mackenzie/SP — 78,17%

5 — Fac. de Direito Pres. Prudente/SP (As. Educ. Toledo) — 73,39%

6 — Fac. Metropolitanas Unidas/SP — 71,96%

7 — Fundação de Ensino Votuporanga/SP (Unifev) — 70,27%

8 — PUC de Campinas/SP — 70,23%

9 — Universidade São Judas Tadeu/SP — 69,95%

10 — Centro Universitário de Araraquara/SP (Uniara) — 69,33%

11 — Unesp - Franca/SP — 68,75%

12 — Fac. de Direito de Araçatuba/SP (As. Educ. Toledo) — 68,48%

13 — Fac. de Direito de S. Bernardo do Campo/SP — 66,77%

15 — Fund. Educ. do Mun. de Assis/SP (Fema) — 66,67%

16 — Univ. Camilo Castelo Branco/SP (Unicastelo) — 66,18%

17 — Univ. Camilo Castelo Branco/Fernandópolis — 66,04%

18 — Fac. de Direito de Pinhal/SP — 65,38%

19 — Fac. Filosofia e Ciências de Catanduva/SP (Fafica) — 63,64%

21 — Fac. Salesiana de Direito de Lorena/SP — 61,80%

22 — Unip/SP Capital — 61,72%

23 — Unip - Araraquara/SP — 61,54%

24 — Unip - São José do Rio Preto/SP — 60,56%

25 — Universidade Santa Cecília/SP (Unisanta) — 59,80%

26 — Fac. de Direito de Osasco/SP — 58,64%

27 — Fac. de Direito de Itapetininga/SP — 58,18%

28 — Univ. Católica de Santos/SP — 58,13%

29 — Inst. Mun. de Ensino Superior de S.Caetano/SP — 57,14%

31 — Universidade Cruzeiro do Sul/SP (Unicsul) — 56,84%

32 — Univ. Cidade de São Paulo/SP — 56,19%

33 — Centro Univ. de Rio Preto/SP (Unirp) — 55,75%

34 — Univ. Ibirapuera/SP — 55,17%

35 — Unip - Campinas/SP — 55,11%

36 — Univ. São Francisco/SP — 54,55%

37 — Fac. de Direito de Araraquara/SP — 54,17%

38 — Unip - Barueri/SP — 53,75%

39 — Fac. Educacional de Barretos/SP — 53,57%

40 — Univ. Metodista Piracicaba/SP — 53,54%

41 — Faculdade Capital/SP — 53,49%

42 — Centro Universitário do Norte Paulista/SP — 53,19%

43 — Univ. do Grande ABC/SP — 52,78%

44 — Univ. Braz Cubas de Moji das Cruzes/SP — 52,29%

45 — Fac. de Direito de Franca/SP — 51,67%

46 — Fac. de Direito Vale do Paraíba (S. José Campos/SP) — 51,66%

47 — Universidade de Santo Amaro/SP (Unisa) — 50,85%

48 — Fac. de Direito de São Carlos/SP — 50,68%

50 — Univ. São Francisco ( Bragança Paulista/SP) — 50,38%

49 — Fac. de Direito Padre Anchieta de Jundiaí/SP — 50,38%

51 — Univ. Bandeirantes de São Paulo/SP — 50,31%

52 — Fac. de Direito de Jaú/SP — 50,00%

61 — Univ. Norte do Paraná/PR — 50,00%

62 — Univ. Paranaense/PR — 50,00%

64 — Univ. Moji das Cruzes/SP — 48,85%

65 — Univ. São Marcos/SP — 48,39%

66 — Fac. de Direito de Itu/SP — 47,89%

67 — Fac. de Direito da Alta Paulista (Tupã/SP) — 47,30%

68 — Universidade de Sorocaba/SP — 46,51%

69 — Universidade de Ribeirão Preto/SP (Unaerp) — 46,15%

70 — Univ. do Oeste Paulista (Unoesp - Pres. Prudente) — 45,98%

71 — Centro Universitário do Triângulo/MG — 45,45%

72 — Unip - Ribeirão Preto/SP — 45,38%

73 — Univ. Bandeirantes de São Paulo (Osasco/SP) — 44,83%

74 — Centro Unimonte - Santos/SP — 44,44%

75 — Fac. de Direito de Marilia/SP — 44,07%

76 — Fund. Octavio Bastos (S. João da Boa Vista/SP) — 43,88%

77 — Fac. de Direito de Bauru/SP (Assoc. Educ. Toledo) — 43,80%

78 — Unip - Araçatuba/SP — 43,75%

79 — Universidade de Taubaté/SP — 43,40%

81 — Fac. de Direito de Sorocaba/SP — 42,86%

80 — Fac. de Direito de Leme/SP — 42,86%

82 — Unip - Sorocaba/SP — 41,67%

83 — Unip - São José dos Campos/SP — 41,18%

85 — Unip - Bauru/SP — 40,00%

86 — Fund. Eurípedes Soares Rocha (Univem/SP) — 40,00%

84 — Univ. Federal de Mato Grosso do Sul/MS — 40,00%

87 — Univ. Metropolitana de Santos (Unimes/SP) — 38,75%

88 — Unip - Santos/SP — 38,37%

89 — Univ. Bandeirantes - São Bernardo do Campo/SP — 38,04%

90 — Univ. de Marília/SP — 35,63%

91 — Univ. de Guarulhos/SP — 35,48%

92 — Fac. Integradas Guarulhos/SP — 34,29%

95 — Fac. Adamantinenses Integras/SP — 29,41%

94 — Fac. Estadual de Direito do Norte Pioneiro/PR — 29,41%

96 — Univ. de Franca/SP — 28,57%

— Total — 59,16%

Revista Consultor Jurídico, 19 de junho de 2005
por Maurício Cardoso
Postar um comentário

ITANHAÉM, MEU PARAISO

ITANHAÉM, MEU PARAISO
Um lugar pra chamar de meu. Com o coração. Meu de minha alma; meu de adoção, de coração.

Quem sou eu

Minha foto

Da capital, já morei entre verde e bichos, na lida com animais e plantas: anos de injeção, espinho de ouriço, berne, parto de égua e curva de nível, viveiros, mudas, onde encontrei tempo para lecionar inglês, alfabetizar adultos e ler livros, na solidão do mato. 

Paixões se sucederam e convivem até hoje: Contabilidade, Economia, Arquitetura (IMES, MACK), a chácara e, afinal, o Direito (FDSBC, cursos e pós graduações). No Judiciário desde 2005, planto, replanto, reciclo, quebro paredes, reconstruo, estudo, escrevo e poetizo, ao som de passarinhos, que cantam nossa liberdade.

Não sou da cidade, tampouco do campo. Aprendiz, tento captar o que a vida oferece, para que o amanhã seja melhor. Um mundo melhor, sempre.

Agora em uma cidade mágica, em uma casa mágica, na qual as coisas se transformam e ganham vida; mais e mais vida. Minha cidade-praia-paraíso, Itanhaém.

Nesta casa de espaços amplos e um belo quintal, que jamais é a mesma do dia anterior, do minuto anterior (pois a natureza cuida do renovar a cada instante o viço, as cores, flores, aromas e sabores) retomei o gosto pelo verde, por releituras de espaços e coisas. Nela planto o que seja bom de comer ou de ver (ou deixo plantado o que Deus me trouxe), colho, podo, cozinho os frutos da terra, preparo conservas e invento pratos de combinações inusitadas, planejo, crio, invento, pinto e bordo... sonho. As ideias brotam como os rebentos e a vida mostra-se viva, pulsante.

Aqui, em paz, retomo o fazer miniaturas, componho terrários que encantam, mensagens de carinho representadas em pequenas e delicadas obras. 

Muito prazer! Fique à vontade, passeie um pouco: questões de Direito, português, crônicas ("causos"), jardinagem e artesanato. Uma receita, uma experiência nova, um redescobrir. 

Pergunte, comente, critique, ok? A casa é sua e seu comentário será sempre bem-vindo.

Maria da Gloria Perez Delgado Sanches

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

Arquivo do blog